PORTAL POÉTICO CCF NO SEU IDIOMA

ITAPERUNA, MINHA TERRA

ITAPERUNA, MINHA TERRA
De Itaperuna para Praia Grande

quarta-feira, maio 24, 2006

DIAS NECESSÁRIOS

Quantos dias mais serão necessários para:

. Cabeças rolarem no governo de São Paulo. Ou seria: Quantas mortes mais são necessárias para cabeças...
. O Senhor José Sergio G. de Azevedo, Presidente da Petrobrás, responder a carta que lhe enviei em 23.04.06 a respeito da propalada Auto-suficiência Brasileira na exploração de petróleo, a meu ver uma propaganda enganosa;
.O nosso presidente falar francamente a nação Brasileira sobre a atuação dos seus amigos de coração e de ocasião no trato da coisa pública e nos garantir que os mesmos são uma página virada na sua vida, que agora é pautada pelo conhecimento de tudo que se passa ao seu redor;
.O povão cair na real e entender de uma vez por todas as palavras do mestre Gonzagão, que nos alertou: “Quem da esmola a um homem são, ou lhe mata de vergonha, ou vicia o cidadão”;
.Que os políticos Brasileiros deixem de ter para o Brasil a mesma importância que a bunda tem para o corpo humano;
.Que os políticos Brasileiros tenham para o Brasil a mesma importância que a Bacia (que sustenta a coluna vertebral, que sustenta a cabeça) tem para o corpo humano;
.Que a justiça do trabalho na figura do TST me faça justiça e confirme minha vitória sobre aquela que não é tão confiável quanto quer parecer ser. Aquela mesmo que nos momentos de crise, toma sempre duas medidas: Pedir ajuda ao governo federal via BNDS e meter o pé na bunda(olha ela ai de novo!) dos seus funcionários;
.Que as bolsas governamentais geradas no ventre do assistencialismo, deixem de existir a partir do momento no qual um Pai, uma Mãe ou um Arrimo de familia, tenha por força do seu trabalho reais condições de dar aos seus uma vida socialmente digna;
.Que a segurança pública tenha a mesma importância que o peixe, que muito se pesca e pouco se come, tem para o governo federal;
.Que a ética, tão perdida quanto pedida, seja fazer o certo quando num espaço físico só exista você e a sua consciência;
.Para que passada a euforia(Copa do mundo) possamos através da Consciência individual(voto) encontrar uma nova esperança(Novo presidente) que trabalhe pelo futuro do presente(Nossos filhos) e não para sí mesmo(Políticos), sempre contrários aos reais interesses da nação(Ordem e Progresso);
.Que a educação seja de fato um projeto nacional e não uma experiência pedagógica de Chatistas de plantão;
.Que a máscara daqueles que ontem eram revolucionáros e que hoje são governo, caia para enfim entendermos esta democracia que estampada na face cruel dos criminosos, condena as pessoas de bem deste País a viverem presas na decepção, na ignorância e no medo.

quinta-feira, maio 11, 2006

URUBUS

URUBUS
Estou a observar
Os urubus que dominam
Os ares sobre o Xixová
São cerca de 40
Mas devem ter mais
Nos seus ninhos a aguardar
A sua hora de planar

Quanta agilidade
Quanta imponência
Olhando lá de cima
A carniça que aqui em baixo
Começa a putrefar

Vai urubu, Vai!
sobre o verde do xixová
que no momento é seu
só não desejo que estes olhos de abutre
mirem os meus

Queria poder também alar
Mas só me é possível olhar
Seu Rei e o seu bando
Neste pedaço do meu céu
A voar, A voar, A voar!

quarta-feira, maio 10, 2006

A LUA

A LUA


A lua
está a um palmo exato do imaginário
nos meus olhos
a mais bela e a mais rara
das visões que já tive por aqui
ela se mostra de fato
decidida a num piscar
vencer a distänca que nos separa

Preciso ir embora
mas ela não permite
me prende ao seu olhar
e com ele me devora
o que ela pretende?
ao flutuar assim
toda nua em claridade
diante de mim
vindo por sobre às águas
marinha de São Vicente
para enfim se transformar
no luar de Praia Grande

Eu a vejo se esconder
e percebo que chegou a hora
cerro as portas e vou para casa
com ela a me acompanhar
e a desejar-me boa noite
boa noite minha lua!
não! eu não sou sua
sou de quem pelo meu feitiço
se deixa levar
corrige-me com seu ar faceiro

Se amanhã ao fim da tarde
entre o muro e o zinco
ela não vier se exibir
vou após o arrebol(Fim de tarde)
perdoa-la por saber
que ela vadia por ai
anda a me trair








sábado, maio 06, 2006

ACORDO DE SOBREVIVÊNCIA

ACORDO DE SOBREVIVÊNCIA
(Inspirado no assassinato em Praia Grande-SP (01.05.06) de Murilo Henrique Guirelli Chagas).

Sr. Ladrão, vamos estabelecer um acordo! O senhor não atira em mim e eu em troca asseguro a continuidade da sua impunidade, mantendo nas próximas eleições, com o meu voto! Este sistema que está ai a lhe favorecer.


REFLETINDO SOBRE O MESMO TEMA
Diante de mim,
Nuvens de variadas formas
Pessoas de variados modos
Cores de variados tons
Objetos de variados tipos
E eu daquele mesmo jeito
Cético esperando

Que as nuvens se amem
As pessoas se explodam
As cores se movam
E os objetos se libertem
Para que eu sobreviva
Ao deleite do meu algoz

Que de tão palpável
Traz em si o matiz
Delirante do tempo que anuncia
Um longo período de tempestades

Biografia

Celso Corrêa de Freitas
56 anos.
Poeta, Escritor e Articulista.
Nascido em Itaperuna-RJ, aos 26 de Agosto de 1954.
Atual Presidente (O sexto) da Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande-SP e da Confraria de Artistas e Poetas pela Paz - CAPPAZ Seccional de Praia Grande-SP.
Coordenador da Cappaz para a Costa de Mata Atlântica(Baixada Santista).
Colaborador ativo nos jornais e demais meios de comunicação (Blogs e Sites). Participante, prefaciante e Organizador de Antologias e livros solos.
Contato: Celso.correadefreitas@gmail.com-casadopoetabrdepraiagrande@gmail.com-ccfcappaz@globomail.com
Sites: www.portalpoeticoccf.blogspot.com-www.casadopoetapg.com.br-www.cappaz.com.br